O Reino Unido suspendeu as restrições devido à pandemia

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, pediu na segunda-feira que todos os adultos no país que ainda não foram imunizados contra o covid-19 tomem a vacina enquanto pede “cautela”, coincidindo com a retirada das últimas restrições legais para conter a pandemia.

Em nota divulgada na véspera pelo governo britânico, o Executivo lembra que o avanço da Inglaterra para a fase 4 de seu plano de desaceleração implica que “a maioria das restrições acabou, substituída por diretrizes que enfatizam o julgamento e a responsabilidade pessoal”.

A nota indica ainda que os maiores de 18 anos já podem fazer marcação para serem vacinados e que quase 60% da população com menos de 25 anos já recebeu pelo menos a primeira injecção.

“Os adultos jovens podem ser transmissores essenciais e são instados a aplicar ambas as doses”, sublinha a declaração, acrescentando que os casos continuarão a aumentar, embora o programa de imunização “tenha enfraquecido substancialmente a ligação entre infecção e hospitalização e morte”.

O governo lembra que, segundo dados da agência de saúde pública Public Health England, uma dose da vacina Pfizer ou Astrazaena apresenta 80% de eficácia contra hospitalizações no caso da variante delta, e que essa eficácia aumenta para 96% após a conclusão diretriz.

De acordo com os últimos dados oficiais divulgados neste domingo, o Reino Unido registrou outras 48.161 novas infecções por covid-19 nas últimas 24 horas e outras 25 mortes pela doença.

Johnson enfatiza a necessidade de continuar a ser cauteloso após a retirada da regulamentação e lembra que a pandemia não acabou, mas que o país entra em uma nova fase após pesar os riscos.

Leia  O certificado covid digital entra em vigor na União Europeia

“Os casos no Reino Unido e na Europa continuam aumentando, e a ameaça de uma nova variante continua”, diz ele.

No comunicado, o “premier” divulga um plano de cinco pontos de convivência com covid-19 a partir desta segunda-feira, que contempla fortalecer as defesas da vacina ao reduzir o intervalo entre as duas doses, de 12 para 8 semanas para todos os adultos e estipula que a maioria das restrições legais foram levantadas e substituídas por diretrizes que permitirão aos cidadãos tomar suas próprias decisões, enfatizando a cautela e a responsabilidade individual.

Também confirma que o sistema de rastreamento do NHS – serviço público de saúde – continuará a ser usado e que todos os casos positivos para o vírus serão obrigados por lei a se auto-isolar até 16 de agosto, quando então os adultos com o padrão estarão isentos .completo e menor de 18 anos.

Além disso, os controles de fronteira serão mantidos, incluindo quarentenas para os viajantes de um país na lista vermelha e para aqueles que não têm o calendário de imunização completo no caso dos que vêm de locais da lista âmbar.

O comunicado acrescenta que os dados serão continuamente revisados ​​e os planos de contingência estarão disponíveis, embora as restrições sejam evitadas, se possível. O governo planeja revisar as diretrizes atuais em setembro.