Como o brasileiro está usando o auxílio emergencial?

De acordo com Data Nubank o auxílio emergencial, criado para aliviar um pouco a vida de quem teve a renda mais impactada pela pandemia, completou cinco meses de existência – mas, até agora, faltava um estudo que demonstrasse como as pessoas estão usando esse dinheiro.

Como as pessoas estão usando o auxílio? Em um tuíte. Há um pico de gastos no mesmo dia em que o valor é depositado. Depois disso, ele vai sendo usado gradualmente. Na prática: O auxílio emergencial está sendo usado para as necessidades financeiras imediatas, como contas da casa e supermercado.

Há uma tentativa de controlar o dinheiro para que ele dure por mais tempo. De onde vêm os dados? O nosso time de especialistas analisou informações de aproximadamente 500 mil clientes que receberam o auxílio emergencial pela conta do Nubank (no período em que ainda era possível receber em outras contas, não apenas na da Caixa) entre 20 de abril e 29 de maio.

Leia  Brasil venceu a Bolívia 5 a 0

25% do valor é usado no dia em que cai a parcela. Existe um pico de saques, transferências, compras no cartão de débito e pagamento de boletos e faturas. A soma de todos esses gastos chega a aumentar 160% nesse dia.

Em seguida, os gastos caem. Nos dias seguintes, os 75% restantes tendem a ser usados gradualmente. Ainda que o consumo seja maior do que no período antes do pagamento, esse padrão sugere que as pessoas tentam fazer o benefício durar o máximo possível.

O que isso tudo significa? Que o dinheiro do auxílio é usado quase como um salário, sem mudar os padrões de compra ou comprometer a renda a longo prazo. Além disso, existe uma tentativa evidente de manter os compromissos financeiros com o auxílio – e de evitar a geração de mais dívidas.