Baía de Todos-os-Santos completa 519 anos

São 519 anos desde que uma expedição comandada por Gaspar de Lemos, e que trazia o cartógrafo Américo Vespúcio, batizou-a com esse nome, em reverência à tradição católica de celebrar na data o Dia de Todos os Santos.

Se a idade é avançada, a Baía de Todos-os-Santos, por outro lado, renova-se com obras de infraestrutura náutica que valorizam sua vocação turística, cultural e histórica. Promovidas pelo Prodetur Nacional Bahia – programa desenvolvido pela Secretaria de Turismo do Estado (Setur-BA) com financiamento do BID e contrapartida do Governo do Estado –, as intervenções, em número de 12, estão distribuídas em localidades estratégicas que permitem uma roteirização náutica confortável e mais segura para uma melhor apreciação de sua bela costa litorânea.

São atracadouros, marinas, bases náuticas e terminais turísticos que estão sendo requalificados para que recebam com melhor estrutura o fluxo de embarcações e turistas, cuja circulação deverá aumentar significativamente a partir destas intervenções. A previsão é que todas estejam concluídas até o final de março de 2021.

Em Salvador, as obras acontecem em dois pontos. No Solar do Unhão (Avenida Contorno), que abriga o Museu de Arte Moderna da Bahia – MAM-BA, está sendo reconstruído o atracadouro, que ganha estrutura moderna. O Prodetur aproveitou também para reconstruir o antigo restaurante de gastronomia baiana, muito frequentado por turistas, que havia no local.

Leia  Jorge Amado: O filho mais ilustre de Ilhéus

Com mais de 1.200 quilômetros quadrados de área, a Baía de Todos-os-Santos é rica em belezas naturais e patrimônio histórico. Um passeio de barco por suas águas tranquilas proporciona agradáveis momentos de lazer e contemplação.

Monumentos turísticos icônicos de Salvador, como o Elevador Lacerda, o Forte de São Marcelo e o Mercado Modelo, tornam-se ainda mais atraentes quando observados da perspectiva da baía. E a visão de um pôr do sol sobre seu mar sereno no verão é um espetáculo imperdível.

Perfeita para a prática de esportes náuticos, mergulho e stand up paddle, a baía que deu nome ao estado também abriga tesouros em suas profundezas. São os sítios com embarcações naufragadas desde o século 17, que atraem mergulhadores do Brasil e do exterior.

Entre as principais competições realizadas em suas águas estão as regatas Jacques Vabre, que parte da França, e a Aratu-Maragojipe.

Já no entorno da Bahia de Todos os Santos localizam-se regiões de rica tradição histórica e cultural, como as cidades de Maragojipe, Cachoeira e São Félix, no Recôncavo Baiano. E ilhas famosas como as de Itaparica, dos Frades e de Maré convidam para o descanso, o banho de mar tranquilo e a degustação de pratos deliciosos.