Baía de Todos-os-Santos completa 519 anos

São 519 anos desde que uma expedição comandada por Gaspar de Lemos, e que trazia o cartógrafo Américo Vespúcio, batizou-a com esse nome, em reverência à tradição católica de celebrar na data o Dia de Todos os Santos.

Se a idade é avançada, a Baía de Todos-os-Santos, por outro lado, renova-se com obras de infraestrutura náutica que valorizam sua vocação turística, cultural e histórica. Promovidas pelo Prodetur Nacional Bahia – programa desenvolvido pela Secretaria de Turismo do Estado (Setur-BA) com financiamento do BID e contrapartida do Governo do Estado –, as intervenções, em número de 12, estão distribuídas em localidades estratégicas que permitem uma roteirização náutica confortável e mais segura para uma melhor apreciação de sua bela costa litorânea.

São atracadouros, marinas, bases náuticas e terminais turísticos que estão sendo requalificados para que recebam com melhor estrutura o fluxo de embarcações e turistas, cuja circulação deverá aumentar significativamente a partir destas intervenções. A previsão é que todas estejam concluídas até o final de março de 2021.

Em Salvador, as obras acontecem em dois pontos. No Solar do Unhão (Avenida Contorno), que abriga o Museu de Arte Moderna da Bahia – MAM-BA, está sendo reconstruído o atracadouro, que ganha estrutura moderna. O Prodetur aproveitou também para reconstruir o antigo restaurante de gastronomia baiana, muito frequentado por turistas, que havia no local.

Leia  Economia baiana tem processo de recuperação no terceiro trimestre

Com mais de 1.200 quilômetros quadrados de área, a Baía de Todos-os-Santos é rica em belezas naturais e patrimônio histórico. Um passeio de barco por suas águas tranquilas proporciona agradáveis momentos de lazer e contemplação.

Monumentos turísticos icônicos de Salvador, como o Elevador Lacerda, o Forte de São Marcelo e o Mercado Modelo, tornam-se ainda mais atraentes quando observados da perspectiva da baía. E a visão de um pôr do sol sobre seu mar sereno no verão é um espetáculo imperdível.

Perfeita para a prática de esportes náuticos, mergulho e stand up paddle, a baía que deu nome ao estado também abriga tesouros em suas profundezas. São os sítios com embarcações naufragadas desde o século 17, que atraem mergulhadores do Brasil e do exterior.

Entre as principais competições realizadas em suas águas estão as regatas Jacques Vabre, que parte da França, e a Aratu-Maragojipe.

Já no entorno da Bahia de Todos os Santos localizam-se regiões de rica tradição histórica e cultural, como as cidades de Maragojipe, Cachoeira e São Félix, no Recôncavo Baiano. E ilhas famosas como as de Itaparica, dos Frades e de Maré convidam para o descanso, o banho de mar tranquilo e a degustação de pratos deliciosos.