As redes móveis 5G são cruciais em todas as etapas da mitigação de desastres naturais

Os serviços móveis desempenham um papel crucial em advertir, resgatar e salvar vidas durante desastres naturais. Por esse motivo, torna-se essencial que as autoridades da região realizem um trabalho conjunto com a indústria ao planejar o desenvolvimento de redes de telecomunicações, antecipando essas catástrofes, conforme explicado no recente white paper “TIC para mitigação de desastres na América Latina” Publicado pela 5G Americas.

Os serviços móveis podem ser de grande utilidade em todo o processo de mitigação de desastres. Tecnologias como LTE ou 5G permitem que sensores sejam coletados e interconectados para medir variações climáticas e sísmicas e, em seguida, gerar alertas para esses desastres. Essas informações são vitais para criar sistemas de alerta precoce, que podem informar os habitantes afetados por meio de tecnologias móveis.

Os serviços móveis também são usados ​​em diferentes trabalhos de planejamento e localização de resgate, além de serem uma solução eficaz ao fornecer ajuda aos cidadãos mais afetados por esses eventos catastróficos.

Leia  Nasa: Vídeos Apollo 16 em 4K HD

“Desastres naturais são eventos que ocorrem frequentemente na América Latina e no Caribe. Segundo as Nações Unidas (ONU), é a segunda região do mundo mais propensa a esse tipo de catástrofe. Por esse motivo, é recomendável que haja um planejamento no momento da implantação das redes que permita que elas permaneçam ativas durante esses eventos, para que possam aproveitar todo o seu potencial. A manutenção de serviços ativos de banda larga móvel pode gerar uma importante contribuição em termos de atenção primária e resgate de cidadãos diante de um desastre. ” explicou José Otero, vice-presidente da 5G Americas para a América Latina e o Caribe.

O relatório recomenda que a infraestrutura de telecomunicações seja redundante, além de estar localizada nas áreas menos afetadas estatisticamente por catástrofes anteriores, ou em áreas com fácil acesso a serem reparadas. Também é importante que existam planos de contingência para reativar eficientemente essas redes no evento de qualquer eventualidade que possa ocorrer.